terça-feira, outubro 21, 2008

Sozinha



Sozinha numa jornada. Não é melancolia ou só tristeza. Estou, melhor, sou só. Na minha jornada não tem mais ninguém além de mim.

Tenho família, amigos, pessoas. Mas ainda assim estou só. Meu filho tem pai. Mas eu que cuido das febres, das birras, dos problemas escolares, do para casa, da excursão, do tênis sujo, do quarto desarrumado. Todos os dias. E o tempo que tenho pra fazer outras coisas... é quando ele vai para a casa do pai ou da avó. E o que me dói, hoje, é que eu desesperadamente quero que ele vá mesmo. Porque, se ficar, não consigo (ou não quero) ser inteira pra ele. Porque ser inteira me dói. Tira pedaços de mim.

No meio da minha jornada tenho uma mãe. Que admiro, faço reverências, uso como guia, que é meu suporte. Mas tenho medo que minha fortaleza desmanche-se de novo, a qualquer hora. Na verdade morro de medo de ter que ser mãe da minha mãe de novo.

Tem também uma avó que tem que trocar fralda, dar banho, fazer chá de alecrim, conversar, pagar as unhas que ela fez, aturar os absurdos que ela incrivelmente é capaz de dizer, carregar de um lado para o outro quando “a perna inventa de não andar” e ouvir que a casa é dela e que ela que manda e desmanda porque precisa desesperadamente sentir-se viva.

Tem uma família que segue em linha reta. Linha que não vejo, mas dizem estar lá. Tenho amigos, cada qual com seu problema. Um filho com problemas na escola, um namorado longe, um avô, um médico, um tratamento, uma mudança de emprego, uma cama gostosa, uma paixão, um desamor... Um Rio de Janeiro. Tenho uma cachorra que tem medo dos fogos de artifício e que precisa ser alimentada. Duas empregadas. Uma chora. Outra não vejo.

E o gás acaba, o supermercado fecha, o terminal do banco está fora de operação, os DVD´s da locadora estão atrasados e as pessoas na rua ou no ônibus insistem em conversar comigo quando estou conectada ao meu MP4. Porque o carro do meu professor de auto-escola quebrou e parece que nunca vou tirar carteira.

Hoje me sinto especialmente só. Amiga com seus conselhos (verdadeiros) que me irritam, namorado que não sei onde, mãe fora, chefe pegando no meu pé e um gigantesco nó na garganta que faz minhas lágrimas pretas escorrerem agora quando penso que criar um filho sozinha é um absurdo! e acho que não to dando conta, não.

Se eu quiser ir embora agora tenho que ter permissão do meu chefe e tenho que analisar meus compromissos profissionais, o que tenho pra fazer, se posso ir embora. Se quiser ir ao oftalmologista tenho que verificar qual amiga tem disponibilidade em me acompanhar ou vou sozinha mesmo. Se quiser ir à Vera (massagem que me faz muito bem) tenho quer a agenda dela, a minha, a da minha mãe, a do meu filho e até que horas a empregada ficará lá em casa. Se quiser correr tenho que ser rápida porque tenho que chegar em casa com o Diego ainda acordado para corrigir o para casa e ver se ele lavou bem atrás das orelhas.

E acaba que tudo o que quero é fechar os olhos e dormir com uma pancada de Rivotril e só acordar quando existir só eu.

Hoje eu quero sair só. Mas não tenho companhia. Eu queria companhia. Mas queria ficar sozinha. Hoje. Eu não sei.

Sei que tenho vontade de chorar.

Comprei dois vestidos lindos e recebi elogios. Mas não de quem eu queria escutar. Gasto muito dinheiro sabe-se lá com o quê.

Me preocupo demais com os outros e me dôo e me entrego e canso.

Sinto raiva e não falo. Pergunto e não escuto resposta. Tenho, hoje, ojeriza de certas pessoas pequenas, que pouco me acrescentam e que insisto em manter por perto. Me boicoto. Às vezes acho que vai dar errado, então trato de dar errado de uma vez.

Não sei onde está meu rumo nesta jornada. Estou com tudo embolado e embaraçado. E é sozinha mesmo que tenho que achar. Venho tentando. Uma hora começo a enxergar. Aí, sim, não precisarei tanto de ser só eu. Terei espaço pra mais. E vai caber tudo o que é pesado agora dentro de um bolso. Aí à de ser bom.

Um comentário:

  1. Daniel21:32

    E quem te disse que viver é fácil? É encarrar os problemas, resolvê-los da melhor maneira possivel. Bjus.

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir