quinta-feira, dezembro 20, 2007

É Natal...


Tinha de postar alguma coisa natalina. Então me aconteceu uma situação digna de registro estes dias.

Através da Internet, expliquei a um amigo meu como proceder em relação aos últimos anseios de meu pequeno quanto à existência de Santa Claus.

Existe um programa dos Correios chamado “Papai Noel dos Correios”. Crianças escrevem cartas para o Bom Velhinho pedindo coisas simples (porque são crianças simples) como bolas, carrinhos, bonecas, material escolar, emprego pra mãe, etc. Meu amigo e eu apadrinhamos uma das cartas. O menino, Mateus, pedia uma bola e dois carrinhos para seus irmãos.

Pois bem. Comprei os brinquedos e meu amigo ficou responsável por pegar os presentes lá em casa e fazer um mega embrulho resistente (conforme instruções dos Correios) e entregar em alguma agência.

Devido aos fatos supracitados, tive de deixar um recado virtual para meu amigo. Ele tinha que se prevenir quanto ás perguntas sagazes que provavelmente surgiriam do encontro entre eles.
A seguir:

“Rafa,
Tá tudo aqui em casa já embrulhado pra presente. É só pegar com a Maria ou com a Irene (irmã da Maria) ou até com o Diego... Mas olha só a confusão que arrumei pra explicar para a criança o esquema: Papai Noel é mágico... ele sabe de tudo e tem reuniões periódicas com Deus (por isso ele sabe de tudo). Conclusão do menino: ele não é humano! Pois bem: ele é mágico, mas até o mágico pode errar. Então ele precisa de uma ajudinha do pessoal aqui debaixo na questão logística da entrega dos objetos. Aí você vem aqui pegar os presentes para as crianças da carta (que ele leu, inclusive), para deixar no correio e lá ele (Noel) pega e entrega para as crianças.
Ressalva: todas as crianças do mundo ganham presentes. Algumas almejam pouco, porém. Por isso o Papai Noel não precisa de especificações mais detalhadas sobre quais carrinhos e quais bolas eles queriam, entende?
Detalhe: não responda nada sem a presença do seu advogado e, na última das hipóteses, finja ter perdido a fala ou a memória, sei lá. Ele tá na fase de fazer pegadinhas... Mas tenho fé que este será o último ano que o saco vermelho escondido em algum canto da casa apareça misteriosamente em algum lugar... Uma canseira.
Bjs
Depois me manda um e-mail ou me liga pra contar como foi.”


É Natal. Papai Noel ainda existe, usa roupas vermelhas e ainda tem força para comandar um bocado de Duendes na sua fábrica (que funciona o ano todo, ininterruptamente). E a única magia que existe é a dele, porque o resto é truque, é fake (já fizemos aula de mágica).

É Natal. Provavelmente o último Natal com Papai Noel que adivinha as coisas e que, na falta da chaminé, entra pela porta, janela, ralo, qualquer coisa que dê passagem para seu barrigão.

Provavelmente o último Natal que Diego, meu pequeno príncipe, dê explicações maduras para ainda acreditar numa bondade infantil.

Assim seja.

Feliz Natal

Um comentário:

  1. O importante é ter o espírito do natal em nossos corações. Acreditar que é um tempo para reflexões e mudanças. Tempo de fazer um balanço de todas as nossas ações durante o ano para que o próximo ano seja ainda melhor. Se erramos, já passou, ficou para trás. O importante é ter sabedoria para absorver algo de bom.

    ResponderExcluir